Eúde e Sangar – Juízes 3

Eúde e Sangar – Juízes 3:12-31

Eúde no hebraico significa União. Deus trazendo novamente união para seu povo.  
Neste texto percebemos a segunda apostasia no livro de Juízes do povo de Israel, com imoralidade e idolatria.




Vs. 12  Tornaram, a fazer o que era mau perante o Senhor
Hebraico: Ra – (mau, que causa dor, infelicidade, ruim, de mau caráter, miséria)
O povo de Israel fez o que trazia infelicidade e dor ao Senhor. Aquilo que traria também miséria para eles. O curso natural do homem é para baixo, a queda, o pecado. E aqui novamente vemos o povo de Israel se inclinando para o que é mau, e sendo influenciado pelos povos que não expulsou inicialmente de sua presença.


Vs. 15  Os filhos de Israel clamaram ao Senhor

Hebraico: za’aq – clamar por socorro, gritar

O povo se volta ao Senhor em arrependimento e clamam a Deus por socorro para que os livre. Aqui vemos que Deus é misericordioso e gracioso. Mesmo diante de um povo de coração duro, assim como nós, Deus sempre atende a nossa oração quando nos voltamos a Ele de todo nosso coração.


Vs. 15 o Senhor lhes suscitou libertador
Hebraico: yasha – Libertador– salvar, libertar, dar vitória, livrar de problemas morais, redenção
Yeshua – Josué – Jesus – Deus Salva
Os juízes eram uma prefiguração de Cristo para o povo de Israel. Demonstrando que Deus lhes suscitaria um libertador definitivo no futuro através da Redenção em Jesus.


Vs. 15 Eúde, homem canhoto, filho de Gera, da tribo de Benjamim.
Hebraico: itter Canhoto –não consegue lutar com a direita, fechado, calado, amarrado, impedido.
Gera – um grão
Benjamim – um filho da mão direita, tribo de Benjamim
Deus levanta um homem incapaz, pequeno (um grão), que luta com a mão esquerda em uma tribo que é filho da mão direita, ou seja, quando se está à destra (direita) significa que é o melhor, porém Eúde era canhoto, indo contra todas as expectativas naturais dos homens daquela época.


Vs. 16, 17
– Eúde se indigna com a situação de seu povo e Deus o levanta como libertador. Deus não usa os grandes, mas aqueles que se indignam com o pecado e injustiça.

Tributo pago ao Suserano (oferta de cereais, etc).
Era grande o tributo, mais pessoas levaram com ele.
Muito provavelmente os tributos eram entregues em um local de culto onde estavam as imagens de escultura e ídolos dos moabitas. Servir aos moabitas implicava ter que entregar honras também a seus deuses.
Eúde utiliza-se de estratégia para ficar sozinho com o rei Eglom e o mata.
Sem a presença de seu rei e líder o povo de moabe se dispersa e é vencido por Israel sob a liderança de Eúde que ao chegar em Israel tocou a trombeta e todos reconheceram que o Senhor lhes dera a vitória e foram para a batalha.
A terra ficou em paz 80 anos (ou duas gerações).


Vs. 31 depois dele foi Sangar
Após Eúde, provavelmente na próxima geração dos 80 anos, Deus não permitiu que o povo fosse novamente subjugado e levanta Sangar como libertador para o povo, e este feriu 600 filisteus com uma aguilhada de bois.

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tags:

1 Comment

  • Erica Cristina disse:

    Eu estou lendo a biblia pela primeira vez, e to no livro de juízes e esse post me ajudou muito a entender melhor! ;)

Leave a Comment

Email
Print
WP Socializer Aakash Web